Às margens dos rios do sul

nos assentamos e choramos

lembrando-nos de nossas terras perdidas.

Hoje os invasores pedem hinos de alegria,

Nossos deportadores exigem

Que dancemos nossas danças:

“Cantai-nos um cântico de vossa pátria

Mostrai-nos uma dança de vossa aldeia!”

Nós, porém, penduramos nossas flautas

Nos pinheiros da nossa região.

Como podemos cantar em terra estranha?

Como dançar na presença do opressor?

Se me esquecer de ti, terra querida,

Fique seca esta minha mão direita.

Minha língua deixe de falar Kaingang e Guarani

Se algum dia eu de ti não me lembrar.

Se eu não considerar a minha terra

com a maior das minhas alegrias.

Topé (Senhor) se lembra como nos pisaram

E nos exploraram desde o dia

Em que pisaram este chão.

“Arrasa tudo, arrasa”, assim eles gritavam.

“Derruba tudo e vamos logo embora”

Homens malditos que nos enganaram,

Descubram um dia o mal que nos fizeram.

20503345.jpg

Fonte: Salmos Latino-americanos. Ed. Paulinas



Para muitos cientistas, o aquecimento global é o maior desafio que a humanidade já enfrentou.

agua03.jpg

Quando a Bíblia fala em “água”, está falando de algo benfazejo, bom, comparando até o próprio Deus da Vida como “um rio de água viva”. É a água serena de um rio calmo, de um banho revitalizante, de um copo d’água cristalino quando temos muita sede. Também de uma chuva serena, que irriga a terra e faz a ressurreição da caatinga depois de meses sem chuva. Então tudo reverdece, o que parecia morto revive e a vida explode em toda sua biodiversidade e beleza.

É essa água que buscamos de modo incessante, assim como o povo do nosso semi-árido, guardando-a até numa simples cisterna, para que ela não falte nos períodos em que normalmente não haverá chuvas. É dessa forma que aproximadamente 400 mil famílias já adquiriram sua cisterna, participando de uma luta coletiva que lhes dá o mínimo para viver.

Também na briga pelo Rio São Francisco, ou na resistência a obras estúpidas como Belo Monte, no fundo está a defesa de nossos rios, caminhos que andam, veias que irrigam o corpo da Terra e abastecem as populações que procuraram suas margens para viver melhor.

A água na Bíblia

Entretanto, quando a Bíblia fala em “águas”, como as do dilúvio, ou as do Mar Vermelho que cobriram o exército dos egípcios, está falando de sua força devastadora (Sandro Gallazzi).

Em nada essa experiência é diferente do que experimenta hoje a população de Santa Catarina, ou dos morros de Teresópolis, ou a população sertaneja de Pernambuco e Alagoas. Sob as águas e a lama vão as casas, os bens, quando não a própria vida. É a experiência da fúria natural pela força das águas.

O que resta é sempre um cenário de destruição total. Tudo que estava no caminho das águas fica destruído. Reconstruir o patrimônio de famílias, comunidades e de cidades inteiras tem custo e marca o corpo e a alma.
Devido ao aquecimento global os climatologistas já nos avisaram que esses fenômenos vão se tornar cada vez mais constantes e intensos. Portanto, podemos e devemos nos preparar para o pior, pelo menos até onde é possível chegar essa precaução.

Claro que está em jogo a ocupação de morros, de margens de rios, assim por diante. Porém, a humanidade sempre procurou as margens dos rios, para estar próxima das águas. Mas, as enchentes eram naturais, com ciclos mais regulares, permitindo aos povos desenvolver uma convivência mais pacífica com as variações dos rios.

No São Francisco, por exemplo, vi muitas vezes as comunidades fincarem estacas junto à linha d’água para averiguar a elevação do seu nível no dia seguinte. Hoje, as águas chegam diluvianas de um instante para o outro, não permitindo sequer sair de casa.

Campanha da Fraternidade

O tema da Campanha da Fraternidade desse ano é justamente o aquecimento global. Ele está alterando rápida e violentamente o regime das águas. Com mais calor há mais evaporação. Com mais evaporação há, por consequência, mais precipitação e, particularmente, precipitações mais concentradas. A chuva que se abateu sobre Nova Friburgo foi cerca de 180 milímetros, o que significa 180 litros de água por metro quadrado. Em qualquer lugar do mundo seria devastadora. Porém, se cai em áreas ambientalmente alteradas pela ação humana, transforma-se em tragédia.

Para muitos cientistas o aquecimento global é o maior desafio que a humanidade já enfrentou. Para James Lovelock, diante desse fenômeno, todos os outros problemas humanos são praticamente irrelevantes. Se a temperatura média da Terra se elevar de dois até seis graus, o planeta vai se tornar um inferno. A mudança no regime das águas será um dos fatores mais devastadores como consequência dessas mudanças.

O Brasil não é um país preparado para enfrentar essa nova realidade. Nossa população foi expulsa massivamente do campo e teve que se arranjar nas cidades. Sem espaço nos meios mais elitizados, acabou ocupando as encostas dos morros. Aliás, a expressão “favela” tem origem em uma árvore nordestina, que faz a pele arder intensamente quando toca o corpo. Dizem os estudiosos que foram os soldados remanescentes da guerra de Canudos que, ao voltarem para o Rio de Janeiro, sem espaço para ficar, ocuparam os primeiros morros cariocas e deram a essas ocupações o codinome de “favelas”. Sabiam o que tinham encontrado no sertão, sabiam o que estavam encontrando no Rio.

A ocupação das cidades, portanto, se deu sem qualquer planejamento, a não ser a necessidade de mão-de-obra barata para atender à industrialização brasileira. Hoje, cidades assim precárias e injustamente construídas, não têm condição de suportar o aumento na pluviosidade e na precipitação concentradas, geradas pelas mudanças do clima.

A chamada Defesa Civil não está preparada para fenômenos desse porte. Já se fala que teremos que lidar com essas questões como os países que sofrem furacões tiveram que se preparar para enfrentá-los. Portanto, demanda uma nova cultura diante das catástrofes, mas demanda também pessoas e muitos investimentos.

Costumamos repetir que não estamos em uma “época de mudanças”, mas em uma “mudança de época”. A sociedade que vivemos, assim como a Terra que vivemos, serão bastante diferentes ao final desse século. Talvez muito piores. Uma verdadeira incógnita.

Por isso, a imensa responsabilidade dos que dirigem a humanidade e nosso país nesse momento. O futuro vai depender das decisões hoje tomadas. Uma delas diz respeito às mudanças no Código Florestal. A proposta, oriunda do setor empresarial do campo, mas que inclui também medidas para as cidades visa facilitar o desmatamento em morros e margens de rios, exatamente onde está a maior vulnerabilidade ambiental. Permitir essas mudanças, só porque há um setor da sociedade poderoso política e economicamente, é consolidar a tragédia para as gerações futuras, que podem ser nossos filhos e netos. Esse talvez seja o exemplo mais cabal do ponto que pode chegar a irresponsabilidade humana. Parodiando Millôr Fernandes, a humanidade “já deu provas que pode chegar até o limite de sua ignorância e, no entanto, prosseguir”.

* Roberto Malvezzi é membro da Equipe Terra, Água e Meio Ambiente do CELAM. Publicado na revista Missões, n. 02, Março de 2011.



 

img_18474.jpg

Faleceu hoje, domingo, 27 de março, Padre José Comblin. O CEBI expressa sua gratidão pela trajetória deste profeta, cuja vida foi dedicada à causa dos emprebecidos e da Igreja Popular.

Transcrevemos abaixo a notícia postada no site do IHU.

José Comblin morreu nesta madrugada, em Salvador, na Bahia, aos 88 anos.

Ele nasceu no dia 22 de março de 1923, na Bélgica. Desde 1958 trabalhava no Brasil, especialmente em Pernambuco, na Paraíba e na Bahia.

Padre Comblin estava em tratamento médico na capital baiana. Foi encontrado morto, sentado, em seu quarto, quando era esperado para a oração da manhã e não apareceu na capela. Ele tinha problemas cardíacos e usava marcapasso. Apesar da doença, parecia bem disposto e estava trabalhando.

Ele veio para o Brasil em 1958, atendendo a apelo do papa Pio XII, que no documento Fidei domum(O Dom da Fé) pedia missionários voluntários para regiões com falta de sacerdotes.

 

dom-helder-70-anos-de-jose-comblin.jpg

Depois de trabalhar em Campinas e, em seguida, passar uma temporada no Chile, foi para Pernambuco, em 1964, quando d. Helder Câmara foi nomeado arcebispo de Olinda e Recife. Perseguido pelo regime militar, foi detido e deportado, em 1972, ao desembarcar no aeroporto de volta de uma viagem à Europa.

José Comblin participou do primeiro grupo da Teologia da Libertação. Esteve na raiz das equipes de formação de seminaristas no campo em Pernambuco e na Paraíba (1969), do seminário rural de Talca, no Chile (1978) e, depois, na Paraíba, em Serra Redonda (1981). Estas iniciativas deram origem à chamada Teologia da enxada.

Além disso, esteve na origem da criação dos Missionários do Campo (1981), das Missionárias do Meio Popular (1986), dos Missionários formados em Juazeiro da Bahia (1989), na Paraíba (1994) e em Tocantins (1997).

É autor de inúmeros livros, dentre eles A ideologia da segurança nacional: o poder militar na América Latina (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978)

Pelo CEBI, José  Comblin escreveu:

Paulo: trabalhador e apóstolo

As cartas de Paulo

Fonte:  http://www.cebi.org.br/noticia.php?secaoId=1&noticiaId=1876



A Revda. Magda Cristina Guedes trabalhou por quatro anos na Diocese Anglicana de Curitiba. Nos dois primeiros, atuou como Secretária Diocesana e auxiliou no trabalho pastoral e missionário da Região Leste, especialmente na comunidade São João Crisóstomo, em Colombo. Nos dois últimos anos atuou como reitora da Paróquia de São Lucas, em Londrina, e como Ministra Encarregada das missões de Maringá e P. Missionário em Tamarana. Há poucos dias transferiu residência para a Diocese Anglicana de Brasília, onde será instituída Deã da Catedral da Ressurreição, na Capital Federal, no próximo domingo, dia 27 de Março, às 10 horas, para o que pedimos as orações de todos e todas.

 

dsc03355.jpg

 

Agradecidos a Deus pela amizade, companheirismo, dedicação, responsabilidade, criatividade e zelo pastoral e missionário, marcas da sua vocação e ministério, desejamos as mais ricas bênçãos para essa nova responsabilidade que a igreja lê confere.

 

44150190a.jpg

 

Até breve reverenda, Deus a abençoe ricamente em seu novo ministério.



No dia 20 de março, Dom Francisco de Assis da Silva, 1º vice-presidente do CONIC, foi sagrado bispo da Diocese Sul-Ocidental da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, em Santa Maria (RS). A cerimônia de sagração episcopal foi realizada na Catedral do Mediador, e contou com a presença do secretário geral do CONIC, Rev. Luiz Alberto Barbosa.

 

xico-1.jpg

 

O evento teve a presença de muitos cristãos, que foram desafiados e chamados, através da liturgia e da palavra, à prática do verdadeiro cristianismo em união aos irmãos cristãos ou de outras religiões. O pregador Revdo. Côn. Michel Pollesel, secretário geral da Igreja do Canadá, refletiu a partir de textos bíblicos sobre a vocação assumida no batismo, explicando que, por palavras ou gestos, deve-se proclamar a Palavra do Senhor, relembrando que este é um mandamento recebido do próprio Jesus.

 

Em sua fala, Dom Francisco reforçou a visão ecumênica, acolhendo pessoas cristãs de outras denominações, bem como as de outros credos. Ao final, ele deixou um pedido para que os clérigos e leigos da Diocese Sul Ocidental trilhassem junto a ele a missão que recebe, pedindo paciência, pois não está plenamente preparado dentro da condição de bispo/pastor, colocando-se à disposição para estar crescendo e amadurecendo dentro do ministério.

 

O ofício teve a presença de todos os bispos anglicanos em atividade no Brasil: Dom Maurício Andrade, bispo de Brasília e primaz da IEAB; Dom Orlando de Oliveira, Porto Alegre; Dom Filadelfo Neto, Rio de Janeiro; Dom Naudal Gomes, Curitiba; Dom Sebastião Gameleira, Recife; Dom Saulo Barros, Belém; Dom Renato Raatz, Pelotas; Dom Roger Bird, São Paulo; dois bispos eméritos, Dom Clóvis Rodrigues e Dom Almir dos Santos; e bispos do exterior, Dom Julio Murray, da Diocese do Panamá; Dom Miguél Tamayo, Uruguai e Dom Gilberto Porcal, sufragâneo do Uruguai. O atual bispo diocesano, Dom Jubal Pereira Neves, não esteve presente por estar se recuperando de recente enfermidade.

 

xico-2.jpg

Religiosos de outras igrejas e organismos ecumênicos também marcaram presença, como o bispo diocesano da Igreja Católica Romana de Santa Maria, Dom Hélio e o Dom Sinésio Bohn, bispo católico presidente do CONIC/RS, , além de clérigos e clérigas do Brasil como do exterior, bem como representantes ecumênicos da IECLB, CESE, CLAI, CREAS e KOINONIA.

Fonte: CONIC



Com o intuito de prestar apoio à população do litoral paranaense atingida pelas fortes chuvas dos últimos dias, o programa Luz no Brasil fará uma ação emergencial em 26 de março, nas cidades de Morretes, Antonina, Guaratuba e Paranaguá. Para realizar a ação, estão sendo convocados voluntários aptos a prestar auxílio espiritual e material aos moradores.

 

gleisi-litoral-ajuda.png

 

Mantido pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), o programa conta com o ônibus-ambulatório Rodas do Socorro, que partirá de Curitiba às 8h, da frente da Secretaria Regional da entidade (Av. Marechal Floriano Peixoto, 2952 - em frente ao Carrefour do Parolin). “Não temos como saber qual será a condição de viagem. O tráfego para o litoral está em pista simples e estamos pedindo que os voluntários venham preparados para dormir por lá”, afirma Hélio Dias da Costa, assistente regional de Ação Social da SBB.

 

A primeira parada será em Morretes, onde a equipe visitará regiões com a orientação da Defesa Civil, como abrigos e regiões afetadas. Em seguida, o ônibus partirá para Antonina, Paranaguá e, por fim, Guaratuba. “Os voluntários irão aos locais onde sua presença for mais necessária, realizando tarefas como limpeza, remoção de móveis avariados e pequenos consertos. Também estamos recrutando uma equipe de médicos e enfermeiros. Precisaremos de todos os que tiverem disponibilidade de tempo e disposição para trabalho pesado”, convoca Costa.

Fonte: SBB



O extermínio de jovens nas perifierias urbanas foi um dos temas tratados na Assembleia  Estadual do CEBI, que ocorreu nos dias 19 e 20 de março, em Goiânia.

O evento reúniu 32 pessoas, representantes das diversas subregiões nas quais se encontra organizado o CEBI-GO. Além da avaliação da caminhada do CEBI no Estado, o grupo se debruçou sobre a conjuntura nacional. Mereceu destaque a situação política nacional, incluindo os desafios de uma mulher na presidência de um país cuja política é formatada para responder aos interesses de uma elite patriarcal e machista.

12.jpg 123.jpg

A violência instutucional também foi discutida, assunto motivado especialmente pelo extermínio de jovens nas periferias das grandes cidades. Nos últimos meses apenas na cidade de Goiânia, 36 jovens desapareceram depois de abordagem policial. (Mais informações em  Chega de Violência e Extermínio de Jovens).



  quatro anos visitei uma casa de recuperação de jovens e adolescentes em Foz do Iguaçu, onde nossa irmã Eva Vergara foi assitente social e também diretora, trabalho que realizou com afinco e determinação, inspirada pelos mais elavados sentimentos de amor e cuidado humano. Fiquei fortemente sensibilizado e fortemente “impactado” em ver aqueles jovens, da idade do meu filho, ali, enjaulados, sem nenhuma esperança, a não ser sua fé “cega” na “salvação milagreira” que Jesus pudesse realizar. Estive, acompanhado da Revda. Elisete e Rev. Cleny, conversando e orando, através das grades das celas, com vários desses jovens, “enjaulados” temporariamente, mas certamente já condenados pela sociedade. Esta, assustada, diante da falta de políticas públicas adequadas ou ineficases e diante da sua própria isenção de responsabilidade, apenas ve como solução a diminuição da idade penal. Como se condenar jovens mais precocemente resolvesse o problema.

dom-naudal.jpg

Até agora, muito pouco fiz, como cidadão e lider religioso, a não ser animar os trabalhos já existentes, ainda que pequenos e incipientes, com crianças e jovens. Contudo, em 2010 e 2011, entre outros, tenho “dasafiado” a Igreja, às comunidades da diocese, para que atentem para o cuidado das crianças e jovens. Tendo como preocupação não só os jovens e crianças da comunidade, mas também, os da sociedade, lugar aonde a igreja está inserida e é chamada a servir!

santa-izabel-festa-junina-2009-11-michael-e-criancas.jpg

Ao ler parte do relatório do Mapa sobre a Violência no Brasil em 2011 e as informações da Campanha Nacional contra a violência e exterminio dos jovens, que podemos encontrar no site http://www.juventudeemmarcha.org/index.php, fico extremamente mais convicto de que como comunidades e pessoas cristãs precisamos priorizar nossas crianças e jovens, de que nosso chamamento e desafio é pertinente e importante.

A Igreja Provincial, em seu último SINODO, que é sua Assembléia Nacional, solicitou que cada comunidade, sempre no último domingo do mês, apresente suas intercessões por todos os jovens. Na esperança de que nossa liturgia e orações represente aquilo que realizamos e sonhamos. Represente nosso cuidado e compromisso pastoral com a juventude.

dsc034151.jpg

Neste 24 de Março, os cristãos latino americanos recordam um mártir e santo, Dom Oscar  Romero, que não se calou diante das injustiças e da opressão, sendo martirizado em plena celebração eucarística. Seu martirio serviu para fortalecer a “luta’ do povo por justiça, liberdade e paz e suscitou o surgimento de outros líderes profetas e mártires, e o despertar de uma igreja mais “encarnada” e serva, profética e solidaria.

 

Em Londrina, no último domingo de fevereiro, participei da liturgia do abraço foi dedicada aos jovens (está a disposição no site da diocese www.dac.ieab.org.br). Convido a todos e todas para que nesta quaresma, quando lembramos, liturgicamente as tentações de Jesus e seu firme propósito, a partir do batismo, de não se desviar de sua missão e vocação. Quando lembramos a luta da mulher por dignidade e trabalho, no dia internacional de mulher. Quando lembramos o dia mundial da água e de como estamos “gastando’ esses dons que Deus nos deu de forma tão irresponsável e mercantilista. Quando emocionados assistimos os acontecimentos da catástrofe no Japão, tempo em que apenas nos recuperamos das catástrofes do RJ, e vemos quão irresponsáveis somos ao produzirmos energia nuclear, sem medir as consequências e o alcance da destruição da vida. Convido a todos e todas a que “abracemos” uma dessas causas, especialmente o cuidado com os jovens e crianças e  o cuidado e responsabilidade com a terra e toda a criação.

2076209200_c16005f56b.jpg

 

Quando abraçamos uma causa, somos os “ouvintes” de Jesus que tem “olhos e vem, tem ouvidos e ouvem”. Somos como santos e santas de Deus, a exemplo de Oscar Romero.

 

+Naudal, Curitiba

 24 de março de 2011.



leonardo_boff5902.jpg

“Três cenas aterradoras: o terremoto no Japão, seguido de um devastador tsunami, o vazamento deletério de gases radioativos de usinas nucleares afetadas e os deslizamentos destruidores, ocorridos nas cidades serranas do Rio de Janeiro, provocaram em nós, com certeza, duas atitudes: compaixão e solidariedade…”

Leia este artigo na íntegra em: http://dac.ieab.org.br/textosreflexao-e-estudo/


bobo2.jpg  

No próximo domingo dia 27 de março às 12h00minh será servido na MISSÃO SÃO PEDRO APÓSTOLO um delicioso bobó de frango mais acompanhamentos no valor de R$ 10,00. As pessoas que não desejarem comer no local podem utilizar dos seus vasilhames para levar  a deliciosa refeição.

Ainda no dia 27 teremos o Culto Dominical ao qual estão todos convidados para às 10h00minh desfrutarem de momentos de louvor, oração, reflexão da Palavra de Deus e Celebração da Santa Comunhão.

A Missão São Pedro Apóstolo fica localizada na Rua Procópio Ferreira Martins, 321 no Bairro Cajuru, atrás da Auto Lins Caminhonetes também próximo ao shopping Jardim das Américas.

Os convites já estão disponíveis, reserve já o seu!

Contatos: 41. 3366-0007, 3366-5100, 9667-0908 e 8426-2397

* Imagem meramente ilustrativa.
  
  _______________________________

Atividades na São Pedro Apóstolo:

Domingo - Culto às 10:00h

Quarta-feira - Oração Vespertina com Benção da saúde às 19:00h

Sexta-feira - Grupo Alegria de Viver às 14:00h

Terça, Quarta e Quinta-feira atendimento pastoral a partir das 15:00h

Uma abençoada Quaresma a todos(as)!